P10v - Peróxido de Hidrogênio - Oxigênio Liquido Oxigenação Cérebro

R$ 39,50
ou 7 x R$ 6,22
Produto esgotado. Clique aqui para ser avisado
quando o produto estiver disponível.
P10v - Oxigenio Ativo Liquido - 100 ML
Produto indicado tanto para humanos como para animais.
Água Oxigenada  Alimentar, P10v é um produto preparado a base de Peróxido de Hidrogênio e extrato de ipê roxo, um produto natural especial para uma perfeita oxigenação geral e eficiente. É conhecido como oxigênio ativo liquido. 

P10 água oxigenada alimentar é um produto elaborado para uso interno recomendado para tratamento preventivos e até curativos, pois sua eficacia na oxigenação gera condições para que o corpo reaja e se equilibre.

Peróxido de Hidrogênio liquido é um produto ótimo para ser receitado pelos homeopatas, terapeutas holisticos e terapeutas alternativos.   Uma boa ferramenta de recuperação da saúde perdida. 

Apresentação: Kit com 1 a 10 frascos de 100 ml - a sua escolha na hora da compra. 
Fornecedor: Francisco Antunes Produtos Naturais Ltda
Sugestão de Uso: iniciar com 5 gotas em água, repetir 3 x ao dia.
                                  Após 5 dias: 10 gotas, repetir 3 x ao dia.
                                  Após 15 dias: 25 gotas, repetir 3 x ao dia.
                         Tomar preferencialmente com estomago vazio.


AS VIRTUDES DA ÁGUA OXIGENADA
“Quarenta e um milhões de norte-americanos tem artrite grave; 20 milhões tem herpes, 13 milhões sofrem de diabetes. No inicio do século XX, éramos uma das nações mais saudáveis da Terra. Somos os mais ricos, mas hoje estamos longe de sermos os mais saudáveis.
Algumas das razões pelas quais não somos mais saudáveis são: nosso ar, nossa água e nosso alimento não são o que era há 100 anos atrás. Poluímos nosso ar, precisamos de aditivos para tornar nossa água potável e nosso alimento já perdeu seus micronutrientes, há muito exauridos dos nossos solos.  Agora precisamos usar suplementos para ajudar a recuperar o que perdemos. Um desses suplementos é o oxigênio.
O oxigênio é o elemento mais abundante da terra, totalizando 45,6% da crosta terrestre e 20,9% do ar seco. É um dos elementos mais vitais e necessários para manter a vida. O oxigênio é tão essencial à saúde que os hospitais o têm instalados nos quartos dos pacientes. Sem oxigênio só podemos viver uns poucos minutos.
O oxigênio, tomado internamente, é capaz de eliminar microrganismos no corpo humano a tal ponto que a artrite, o câncer, a úlcera, a urticária e outras 35 doenças podem ser eliminadas ou controladas.
P dr. Edward Carl Rosenow, autor de centenas de artigos médicos, desenvolveu uma técnica pela qual esses microrganismos podem ser controlados. Sua premissa básica é a de que vivemos num oceano de microrganismos e o corpo humano está repleto deles. Eles se multiplicam, passam por metamorfoses, alimentam-se de outros microrganismos, atuando em nosso corpo de diversas formas:
·        Corroem as articulações (artrite inflamatória).
·        Deixam resíduos de cálcio que cimentam os ossos.
·        Alojam-se no fígado e rins, formando pedras com sua bílis.
·        Instalam-se no revestimento das artérias, ali depositando resíduos sólidos.
·        Aderem ao revestimento das células nervosas, provocando curto-circuito no cérebro.
·        Atacam as células, invadindo-as e construindo casulos em torno delas. Isso corta o suprimento de sangue, fazendo com que a célula perca a sua função específica, de forma que só possa viver e se multiplicar em tumores cancerosos.
Uma das mais simples fontes desse oxigênio regenerador é a água oxigenada.  A história da água oxigenada remonta à origem dos tempos. Foi mencionada pela primeira vez pelo químico francês Louis Jacques Thenard em 1818. A água oxigenada é bastante natural; cai com a chuva e a neve. Ela se incorpora à chuva e à neve a partir da camada de ozônio, na região superior da atmosfera terrestre. O ozônio (O³) é oxigênio livre (O²) com um átomo a mais de oxigênio. Esse átomo adicional separa-se facilmente quando entra em contato com a água. A água, então, torna-se água oxigenada (H² O²). A desinfecção de bactérias e vírus da água com ozônio é até 5.000 vezes mais rápida do que com o cloro. Essa é a razão pela qual em muitos lugares da Europa se adicionam ozônio e água oxigenada à agua potável.
A água oxigenada é encontrada nas frutas e nas verduras frescas, em parte devido à chuva e em parte à fotossíntese. Se comêssemos frutos e vegetais frescos em seu estado natural, estaríamos suprindo nosso corpo com esse oxigênio regenerador. Apesar de encontrarmos o oxigênio reparador nos alimentos, nosso suprimento não é suficiente devido a maneira pela qual os processamos. O calor destrói ou neutraliza a água oxigenada, diminuindo os benefícios que pode trazer ao nosso organismo.
Analisamos o leite materno e descobrimos que ele contém grande quantidade de água oxigenada natural. Analisando águas de fontes naturais, descobrimos que a água da fonte em Lourdes, na França, continha a maior concentração de água oxigenada em sua forma natural.
A FDA (Food & Drug Administration, órgão norte-americano de controle de alimentos) autorizou as indústrias de alimentos a usarem a água oxigenada no processo de embalagem asséptica e determinou seu uso no processamento de queijos e laticínios, ovos, e como agente antimicrobiano, no processamento do leite. Também recomendou seu uso na limpeza e tratamento de ferimentos bucais. A água oxigenada é adicionada ao leite em 45 países. Uma colher de chá dessa água a 3% num copo de leite fresco elimina todos os microrganismos, evitando que o leite azede, mesmo sem refrigeração.
Nos EUA, ela é denominada Peroxido de Hidrogênio. A agua oxigenada é encontrada em farmácias e é vendida como antisséptico. Para uso interno, não se deve usar a água oxigenada que contenha estabilizantes. O ideal é usar as comercializadas para fins alimentícios ou culinários.
O tratamento com oxigênio é chamado Oxigenoterapia. Várias clínicas e centros médicos utilizam essa terapia e os resultados comprovados são: recuperação do sistema imunológico, desintoxicação mais rápida e processos de cura altamente acelerados.”
Fonte: (ECHO, PO Box 126, Delano, MN 55328 – EUA)
Oxigênio nas artérias evita a amputação das pernas.
PRAGA:  Médicos da Clinica Cirúrgica de Pilsen, na Boêmia Ocidental, evitaram a amputação de pernas, utilizando um novo método: injetar oxigênio nas artérias dos membros inferiores, contraindo e expandindo os mesmos para enriquecer o sangue e fortificar o organismo. Esse novo método, elaborado e usado durante três anos, permitiu aos médicos evitar a gangrena e restringir a amputação das extremidades.
Comentários do Professor Francisco Antunes, Bioquímico e pesquisador.
Anos antes desse estudo, nosso trabalho revelou que a ação principal do peróxido de hidrogênio seria sua propriedade de prevenir, ainda no processo digestivo, a formação de substancias nocivas ao organismo. Devido às suas propriedades físico-químicas, uma parte do peróxido de hidrogênio, quando ingerido por via oral, penetra na corrente sanguínea, fornecendo os benefícios evidenciados pelo Centro Médico Americano.
 
Os médicos da clínica de Pilsen seguiram a orientação do Centro Médico da Universidade de Baylor. Em ambos os casos, a tecnologia seria a ingestão oral de peróxido de hidrogênio em solução aquosa, seguida por imersão.
Essa ingestão, além de impedir as reações intestinais de fermentação e suas danosas consequências ao metabolismo humano, penetra na corrente sanguínea e desenvolve a politica preconizada por esses centros médicos, dissolvendo os coágulos porventura existentes nos vasos, recuperando a circulação e aumentando a taxa de plasma sanguíneo.
Todas as células do organismo necessitam de oxigênio. As causas conhecidas do câncer podem ser mais bem entendidas se avaliadas por esta causa comum primária: a falta de oxigênio, que impede as células de respirar.
Na Escandinávia, existem terapias e tratamentos para combater o câncer na garganta e no esôfago e que lançam mão da profilaxia em grande escala, por meio de uso de substâncias que carregam o oxigênio.
A tese do professor Otto H. Warburg, de que a “falta de oxigênio seria a primeira causa do câncer”, provocou sensação e espanto por esta aparente simples solução para o enigma do câncer, maior ainda, por haver sido formulada por um pesquisador por um pesquisador sem familiaridade com os problemas do câncer.  O autor da tese é o químico alemão Otto H. Warburg, diretor do Instituto Max Planck de Fisiologia Celular em Berlim, agraciado em 1931 com o Nobel em atenção aos trabalhos sobre fisiologia celular.
O professor Warburg expôs a sua teoria da falta de oxigênio e da fermentação nas células cancerígenas e acusou abertamente os médicos de se oporem aos seus trabalhos, condenando milhões à morte desnecessária pelo câncer.
Concordamos com o professor doutor Otto H. Warburg em sua afirmação de que o processo fermentativo no metabolismo humano impede a oxigenação das células, provocando seu processo degenerativo e, consequentemente, carcinomas.
                               Professor Francisco Antunes 
 
• Prazo para postagem:
• Código do produto: 66C26E
Comentários
Veja também